Diário O Município

WhatsApp Image 2024-05-23 at 16.08.37
D ITALIA 1200 X 300
Capa 3 - 825px X 200px - Podcast
SUNSET 1200 X 300
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
Shadow

Gravatal Beer Festival

Gravatal deverá receber um grande número de turistas sábado (09) quando acontecerá o 5º Gravatal Beer Festival, objetivando reunir milhares de amantes das cervejas artesanais. O evento acontecerá na Praça de Direitos Humanos e contará com sete cervejarias, praça de alimentação e muita música, das 10h às 23h. O público terá a oportunidade de saborear o melhor da produção artesanal de toda a região.

Pepe na coordenação

Deputado estadual Pepê Collaço (Progressistas) será o coordenador da bancada do Sul na ALESC até o fim de 2024. A escolha ocorreu na terça feira (05), quando a bancada foi instituída oficialmente e se reunirá a cada 15 dias para tratar dos assuntos da região. Participaram os deputados Jessé Lopes, Rodrigo Minotto, Sérgio Guimarães, Volnei Webber, Júlio Garcia, Zé Milton, Tiago Zilli, Pepê Colaço e Estêner Soratto Jr.

Dinheiro emprestado

Os Vereadores de Laguna aprovaram pedido de urgência para a tramitação de um projeto de lei permitindo que a prefeitura realize um empréstimo no valor de R$ 14 milhões junto ao Banco do Brasil. O pedido visa substituir a tentativa frustrada do município em obter empréstimo de R$ 10 milhões via Finisa, da Caixa Econômica Federal.

A Polícia Federal aceitou fechar um acordo de delação premiada com Mauro Cid, ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

A delação de Cid

Cid deu depoimentos à PF nos últimos 20 dias e muito do que foi revelado teria despertado o interesse dos investigadores em firmar um acordo de delação. O Ministério Público Federal (MPF) ainda precisa ser ouvido sobre quais as condições para o acordo ser firmado. Além disso, a delação premiada só passa a valer após homologação (aval) do Supremo Tribunal Federal (STF).

Vem chumbo grosso

Ainda não há informações sobre qual será o foco da delação, isso porque Cid é investigado em mais de um caso. Segundo os investigadores, o ex-ajudante de ordens é suspeito de:

  • Participar da tentativa de trazer de maneira irregular para o Brasil joias recebidas pelo governo Bolsonaro como presente da Arábia Saudita;
  • Tentar vender ilegalmente presentes dados ao governo Bolsonaro por delegações estrangeiras em viagens oficiais;
  • Participar de uma suposta fraude de carteiras de vacinação de Bolsonaro e da filha de 12 anos do ex-presidente;
  • Envolvimento nas tratativas sobre possível invasão do sistema do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) pelo hacker Walter Delgatti Neto, para desacreditar o sistema judiciário brasileiro.
  • envolvimento em tratativas sobre um possível golpe de estado.