Diário O Município

WhatsApp Image 2024-05-23 at 16.08.37
D ITALIA 1200 X 300
Capa 3 - 825px X 200px - Podcast
SUNSET 1200 X 300
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
Shadow

Nesta terça-feira (6), delegados, policiais e outras testemunhas envolvidas na Operação Mensageiro foram ouvidos em Joinville no processo que envolve membros da empresa Serrana e a prefeitura de Capivari de Baixo. O prefeito da cidade, Vicente Correa Costa, e o ex-secretário da Fazenda, Glauco Gazola Zanella, são acusados de participar de um esquema de corrupção relacionado à coleta de lixo.
Durante a audiência de instrução, o advogado Eduardo Faustina da Rosa, responsável pela defesa de Vicente e Glauco, afirmou que ambos são inocentes no processo. Faustina argumentou a existência de contradições e falta de provas no caso, o que tem fortalecido a tese de defesa.
“Conseguimos demonstrar que há contradições, inclusive em relação ao suposto encerramento do pagamento da propina. Algumas testemunhas afirmam que o pagamento cessou em março, enquanto outras dizem que ocorreu em julho”, citou Faustina como exemplo das contradições. Suspeitando de estarem sob investigação, a Serrana interrompeu o pagamento de propinas.
Além disso, a defesa argumenta que não existem registros fotográficos ou em vídeo do acusado recebendo propina. Durante a audiência, delegados e policiais confirmaram essa alegação.
O advogado também apontou a fragilidade das provas relacionadas à localização dos réus. Em um momento, foi apurado que Glauco estava em uma reunião com representantes da Serrana em um hotel, mas posteriormente foi comprovado que ele não estava presente.
Durante a audiência, o prefeito Vicente participou como ouvinte e encaminhou perguntas aos advogados, que as apresentaram às testemunhas com as dúvidas elaboradas pelo réu.
“Ele se declara inocente e deseja contribuir para sua própria defesa. Sua presença é muito importante para apontar e esclarecer os fatos. Ele tem contribuído significativamente com a defesa”, afirmou Faustina.