Diário O Município

D ITALIA 1200 X 300
Capa 3 - 825px X 200px - Podcast
SUNSET 1200 X 300
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
Shadow

O governo federal criou nesta quinta-feira, 25, um grupo de trabalho para juntar informações sobre o programa Pátria Voluntária, criado na gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro e liderado pela ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro. A extinção do programa aconteceu em 1º de janeiro deste ano, com o mandato de Luiz Inácio Lula da Silva.
A Casa Civil pretende fazer uma varredura no programa social para dar transparência às informações. A orientação partiu do Tribunal de Contas da União (TCU), que teria encontrado irregularidades na execução do Pátria Voluntária.
O TCU chegou a recomendar à Casa Civil do governo Lula colocar em transparência ativa os atos “administrativos de seleção, gestão e controle de prestações de contas das entidades beneficiárias dos recursos”.
O Pátria Voluntária tinha como objetivo, segundo o governo, fomentar o voluntariado no país, articulado entre o governo, as organizações da sociedade civil e o setor privado.

A missão de
Michelle Bolsonaro

A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro pretende fazer uma turnê pelo país para estimular a participação da mulher na política. Michelle foi anunciada como presidente nacional do PL Mulher, em 15 de fevereiro, pelo presidente do partido, Valdemar Costa Neto.
Na ocasião, a ex-primeira-dama falou sobre as múltiplas funções que as mulheres podem desempenhar: “A mulher tem um olhar especial. Ela pode estar onde quiser. Ela consegue ser mãe, trabalhar na política e realizar várias atividades”.
O nome de Michelle chegou a ser visto no PL como alternativa a Bolsonaro para disputar a Presidência da República em 2026, mas ela descartou a intenção de concorrer.