Diário O Município

WhatsApp Image 2024-05-23 at 16.08.37
D ITALIA 1200 X 300
Capa 3 - 825px X 200px - Podcast
SUNSET 1200 X 300
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
Shadow

A ação do Instituto Bra-
sileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), órgão estatal mantido pelo governo federal, ainda reflete no influenciador digital Agenor Tupinambá, que vive no interior do Amazonas. Nas redes sociais, ele explicou que, apesar de ter recebido de volta a capivara Filó, uma multa terá de ser paga.
Em nota divulgada no último fim de semana, o Ibama acusa Agenor “diversos crimes ambientais”. Por isso, aplicou multa de R$ 17 mil. O instituto acusa o influencer de ao menos três infrações:
Matar espécie da fauna silvestre (preguiça real);
Praticar abuso (capivara); e
Manter animais em cativeiro para obter vantagem financeira (capivara e papagaio).
Mesmo com o posicionamento por parte do Ibama, a Justiça determinou que a capivara Filó fosse devolvida a Agenor, o que aconteceu na tarde de domingo 30. O caso ganhou repercussão nas redes sociais depois de a deputada estadual Joana Darc (União-AM) ter mostrado que, sob os cuidados do órgão estatal, o animal estava preso em uma jaula deixada em uma sala suja.

Tutor da capivara
Filó promove
vaquinha virtual

Novamente acompanhado da capivara Filó, Agenor voltou a publicar fotos e vídeos com o animal nas redes sociais — anteriormente, o Ibama havia determinado que ele excluísse da internet registros desse tipo. Ao público que o segue, ele argumentou não ter recursos para arcar com o pagamento da multa. Por isso, decidiu realizar uma campanha de arrecadação on-line, a famosa “vaquinha virtual”.
“Todos também sabem das minhas condições, onde moro e como vivo”, afirmou Agenor Tupinambá, em postagem divulgada na noite de domingo em seu perfil no Instagram, em que conta com 2,1 milhões de seguidores. “Infelizmente, não tenho como pagar esses valores. E vim aqui, humildemente, pedir a colaboração de quem puder me ajudar. Além das multas, é possível que eu precise arcar com outros custos legais, deslocamentos etc.”, prosseguiu o influenciador digital.
Agenor ainda afirmou que “o total do valor arrecadado será para contribuir com o meu caso, e prestarei contas de tudo”. Nesse sentido, avisou que ele mesmo realizará doações em caso do montante a ser arrecadado superar os custos que terá por causa da multa aplicada pelo Ibama.